Veolia se uni a Alliance to End Plastic Waste (AEPW)

 

Quase 30 empresas globais nos setores de plásticos e bens lançam uma aliança para desenvolver e implementar soluções avançadas para a eliminação do descarte de material plástico no meio ambiente, especialmente nos oceanos.

 

O investimento 1,5 milhões de dólares nos próximos cinco anos será voltado ao desenvolvimento e implementação de soluções que minimizem o desperdício de plástico e promovam destinos sustentáveis para gerar uma economia circular em torno desses resíduos. A Aliança tem entre seus membros empresas localizadas na América, Europa, Ásia, África e Oriente Médio.

Esta é uma organização sem fins lucrativos que inclui toda a cadeia de valor de plásticos: empresas que produzem, usam, vendem, processam, coletam e reciclam plásticos, incluindo fabricantes de produtos químicos e plásticos, empresas de bens de consumo, revendedores e empresas que trabalham com gestão de resíduos. A Aliança tem como parceiro estratégico o Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável.

"O sucesso exigirá a colaboração e esforços coordenados de muitos setores - com diferentes potenciais de resultado, seja a curto ou longo prazo. Abordar o tema plástico no meio ambiente e desenvolver uma economia circular para o plástico requer a participação de toda a cadeia de valor e compromisso de empresas, governos e comunidades, ninguém pode resolver isso sozinho ", diz Antoine Frérot, CEO da Veolia e vice-presidente da AEPW.

 A AEPW anuncia o conjunto inicial de projetos:

• Associações com prefeituras para projetar sistemas integrados de gestão de resíduos em grandes áreas urbanas com baixa infra-estrutura, especialmente aquelas onde há rios que transportam imensas quantidades de resíduos plásticos do continente para o oceano. Este trabalho incluirá o compromisso dos governos e formadores de opinião locais em favor da geração de modelos economicamente sustentável que pode ser replicado em várias cidades e regiões. A Aliança também colabora com outros programas que trabalham com prefeituras, como Projeto STOP (associação sem fins lucrativos que estuda as causa psíquicas e sociais da destruição do mundo e os meios para melhorar a qualidade de vida da população).

• Investir em rede de incubadoras de capital Circulate Cost para desenvolver e promover tecnologias, modelos de negócios e empreendedores que trabalham para a prevenção de plásticos no oceano e para gestão de resíduos e reciclagem, a fim de criar um calendário de projetos para investir.

• Desenvolver um banco de dados global, aberto e científico para apoiar projetos de gerenciamento de resíduos globalmente, com coleta de dados, métricas, padrões e metodologias confiável, ajudando governos, empresas e investidores a acelerar ações que evitem entrada de resíduos plásticos no meio ambiente. A Aliança irá explorar oportunidades para parceria com renomadas instituições acadêmicas e outras organizações que já participam na recolha deste tipo de dados.

• Colaborar com organizações intergovernamentais, como as Nações Unidas, em favor de treinamento de oficiais do governo e líderes comunitários, por meio de oficinas e treinamento, ajudando-os a identificar as soluções locais mais eficazes para prioridade.

• Apoiar a iniciativa Renew Oceans, para incentivar investimentos e compromisso regional. O programa visa capturar resíduos de plástico antes que ele atinja o oceano em os 10 rios que transportam a maior parte desse lixo. O trabalho inicial apoiará o Projeto Renew Ganga, que também recebe ajuda da National Geographic Society.

 

Nos próximos meses, a Aliança fará investimentos adicionais e promoverá progressos nas principais áreas:

• Desenvolvimento de infraestrutura para coletar e gerenciar resíduos e aumentar a reciclagem;

• Inovação no desenvolvimento e implementação de novas tecnologias que facilitem a reciclagem e

reutilização de plásticos, agregando valor ao plástico reutilizado.